Entrevistas | Gabriel Sato | 17/06/2020 09h25

EA TV conversa com Julio Cesar para saber das dificuldades na quarentena

Compartilhe:

Em meio à pandemia do Novo Coronavírus (Covid-19), a vida de pessoas por todo o mundo teve de ser alterada. As recomendações vindas das autoridades da saúde recomendam que a melhor solução, no momento, é o isolamento social. Com isso, vários esportistas brasileiros e estrangeiros, sem exercerem seus ofícios neste momento, precisam treinar em casa para mantem o ritmo. Em busca de saber o que as pessoas ligadas ao esporte de Mato Grosso do Sul têm realizado durante a quarentena, o Esporte Ágil conversou com Júlio Cesar, responsável pela escolinha Pelezinho de Futsal, para saber como ele e os professores da agremiação fazem para manterem contato com os atletas.

Para Julio Cesar, a pandemia superou, de forma negativa, suas expectativas. "É um fato inédito no mundo inteiro isso que estamos vivendo. Eu jamais imaginei que fossemos passar por isso. O que passava pela minha cabeça é que pararíamos por duas semanas e depois voltaríamos ao normal, não imaginava que seria como está sendo." A escolinha Pelezinho está há dois meses e meio parada e a perspectiva é que os treinos voltem no dia primeiro de julho.

As dificuldades que a quarentena impôs afeta a todos, e muitas crianças da escolinha, acostumadas a treinar semanalmente, não conseguem entender o motivo da falta dos treinos. Julio Cesar conta que muitos pais lhe relatam não conseguir explicar às crianças o motivo da falta dos treinamentos, e para amenizar o problema, os professores têm buscado alternativas. "Nossos professores propõem algumas atividades para serem feitas pelos alunos em casa, com cadeira, chinelo, banco e o que servir de obstáculos, para os atletas poderem treinar as questões técnicas. Esses vídeos são gravados uma vez por semana, e enviado aos pais pelas redes sociais." Explica Cesar.

No dia 5 de agosto a escolinha Pelezinho completa 34 anos de existência, e para estar há tanto tempo em atividade, Julio Cesar explica que sempre contou com ajuda de excelentes profissionais, e na situação atual, também conta com o apoio dos pais dos atletas. Muitos têm mantido o pagamento da mensalidade em busca de ajudar a escolinha e para também ajudar os pais, a mensalidade foi reduzida.

Escolinha completa 34 anos no próximo dia 5 de agosto (Foto: Reprodução/Facebook)

O que fazer na quarentena
Assim como as crianças, Julio Cesar busca não ficar parado e se exercita todas as mães. No fundo de sua casa há um gramado e ele aproveita o espaço para manter as atividades físicas em dia. "Vou ao fundo da minha casa e monto um circuito para me exercitar. Cada um procura uma forma de manter a atividade e aguardar essa situação passar, não tem outro jeito, se eu ficar parado, eu travo."

A boa saúde mental e o bem-estar positivo podem ajudar a lidar melhor com a ameaça da covid-19, e Julio Cesar tenta manter a saúde em dia para passar por essa fase de forma menos sofrida. "Tenho acordado cedo, feito minhas atividades, e então tento acompanhar as notícias e escuto bastante música para me tranquilizar. To até conhecendo minha casa melhor nesses tempos." Conta de maneira extrovertida.
.
Embora os tempos sejam difíceis, Julio Cesar mantem as esperanças que logo, tudo passará. Para ele, essa fase pode servir de aprendizado em nossas vidas, para que refletimos e valorizemos nossa vida. "Acho que muitas pessoas depois dessa pandemia vão analisar e perceber que a vida é muito curta. De uma hora pra outra, muda tudo. Converso com familiares que moram fora, e a situação é até pior que a nossa. A gente sabe que vai passar, então torcemos para que passe logo e traga coisas positivas."

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS