Bate-Bola | Gabriel Sato | 31/03/2020 10h20

Patrícia Miglioli conta ao Esporte Ágil sua trajetória na apartação

Compartilhe:

O animal de apartação é muito útil em um rancho ou fazenda, pois no trabalho diário se faz necessário à execução de tarefas como manejo com o gado. Um exemplo é apartar do rebanho um animal que está doente para ser tratado, medicado, ou para outra finalidade. A partir dessas tarefas, provas são desenvolvidas, aqui no Brasil, pela Associação Nacional do Cavalo de Apartação e Associação Brasileira dos Criadores do Quarto de Milha, e uma sul-mato-grossense está há anos na modalidade e soma títulos importantes em sua carreira.

Patrícia Leite Miglioli, conversou com o Esporte Ágil à respeito de toda sua trajetória no mundo da apartação, e os motivos que levaram a atleta a trocar a prova de três tambores, pela modalidade do aparte.

Quando você começou a competir e quais os títulos que você já conquistou na sua carreira ?

Comecei a competir em 2004 com 24 anos, quando conquistei meu primeiro título, Campeã do Congresso Brasileiro do Quarto de Milha. De lá pra cá, fiquei um tempo parada para ter meus 2 filhos, e ganhei praticamente todos os títulos importantes nas duas associações que abrangem a modalidade, a ANCA (Associação Nacional do Cavalo de Apartacao), e ABQM (Associação Brasileira dos Criadores do Quarto de Milha). Pela ABQM, desde 2016 conquisto a premiação anual ABQM Awards como melhor Amazona em Apartação.

Você iniciou no esporte por vontade própria ou alguém te influenciou ?

Eu comecei praticando a prova dos 3 tambores, incentivada pelo meu pai, e em 2003 conheci a apartação, e comecei a treinar também. Em 2011 quando minha filha mais velha estava com 1 ano, fiz minha última competição de 3 tambores e fiquei somente na apartação.

Você prática algum outro esporte além da apartação?

Hoje pratico jiu jitsu mas não participo de competições, faço para ajudar manter a mente mais focada nas minhas provas, melhorar a concentração além do condicionamento físico.

Quais motivos levaram você a trocar os três tambores pela apartação?

Achei mais emocionante e desafiador, por ser uma prova técnica sempre tenho que estar tentando melhorar em algo. São várias regras, temos que estar atentos ao detalhe. E a inteligência do cavalo de apartação encanta!

Quais as dificuldade que um atleta de apartação encontra atualmente ?

A qualidade das provas depende muito do tipo de gado que tem na região. Hoje existem alguns lugares onde há dificuldade em encontrar gado fresco (que nunca passou por uma competição), e de padrão racial ideal para a apartação, o que compromete a apresentação dos cavalos. Em Mato Grosso do Sul é mais fácil encontrar esse gado, e especialmente na prova da Fazenda Gruta Azul, onde se faz todo um preparo da boiada para que os competidores possam mostrar seus animais da melhor forma na pista.

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS